Vingadores vs Defensores: o dia que os Vingadores enfrentaram os heróis mais poderosos da terra

Quadrinhos, Marvel, confronto, Defensores, vingadores

O plot da história é simples: Dormammu o grande inimigo do Dr.Estranho se une com Loki para conseguir conquistar a dimensão da Terra.Para alcançarem esse objetivo o plano é colocar as mais poderosas equipes de super-heróis da terra uma contra a outra, os Defensores enfrentando os Vingadores.



Escrita por Steve Englehart e desenhada por Sal Buscema e Bob Brown (sim esse Gibi é de véio mesmo) publicada originalmente em 1973 e aqui no Brasil saiu na Grande Heróis Marvel 8 em 1985.


A história tem aquela fórmula de confrontos entre heróis já conhecida: inicialmente se enfrentam para depois se unirem contra o verdadeiro inimigo.


Os  defensores (Hulk, Dr.Estranho, Surfista Prateado, Namor, Valkiria, Gavião Arqueiro) saem em busca de um artefato mágico que possa salvar o Cavaleiro Negro (transformado em pedra pela Encantor) acabam tendo que enfrentar os Vingadores (Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Espadachim, Pantera Negra, Mantis, Visão e Feiticeira Escarlate).


Os Defensores saem em busca do tal artefato místico superpoderoso que vai salvar o Cavaleiro Negro os Vingadores (enganados pelo Loki) tentam impedi-los.
Nesse ponto a pancadaria começa e os Vingadores tomam uma coça.


Englehart e Buscema: que dupla!



A escrita de Englehart como sempre é divertida,  mas claro que em alguns pontos a história fica datada. Nos deparamos com situações muito estranhas se comparadas aos gibis de hoje e dia. Como por exemplo  a rapidez que os heróis são manipulados por Loki ou o jeito que os conflitos são resolvidos.


A arte de Buscema serve bem a esse tipo de história, sim temos os famosos socões e pessoas voando.


Essa HQ nos remete aos tempos passados dos Quadrinhos onde as histórias  eram mais simples e bastante malucas :-).


Vingadores vs Defensores é o retrato de toda uma época dos Gibis



A história tem alguma momentos bem marcantes como as lutas entre os heróis e a parte final que lembra bastante algumas sagas futuras da Marvel, envolvendo objetos super poderosos, poderes divinos, dominação universal com Loki enlouquecendo e Dormammu virando poeira (é isso mesmo que você está pensando).


Embora ela seja pouco lembrada pelos leitores mais velhos e nunca tenha chegado aos leitores mais jovens (ela nunca ganhou uma reedição aqui no Brasil) é uma história que vale a pena ser conhecida não só pela curiosidade mas também porque ela é o próprio reflexo do seu tempo.


Roteiro: 6
Arte: 6
Pancadaria: 7
Nota final: 6.3


Ainda tem um bônus: para quem tiver a oportunidade de ler a Grandes Aventuras Marvel #8 ainda vai se deparar com o choro dos leitores na seção de cartas sobre a morte da Fênix, que tinha acontecido na edição anterior da revista. É pra rir muito (agora né, naquela época era de chorar mesmo).


2 comentários:

  1. Eu li esse gibi na época do lançamento aqui no Brasil, quando eu tinha 10 anos. Por coincidência, falei nele semana passada com um jovem apreciador da Marvel. Foi o mais empolgante gibi que li até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é essa Edição foi bem empolgante, principalmente quando a gente lê ela quando é moleque. Esse plot aí pode cair nos cinemas ainda na proxima fase da Marvel. Podia ser legal.
      Valeu pelo comentário e grande abraço Umberto.

      Excluir