Café com Gibi 28: Millena no inicio da Quarentena

Salve salve pessoal que está ai, preso e isolado, venham curtir esse episódio extra do Café com Gibi, onde eu, Luciano Xaba, ao lado da minha filha, a Millena, conversamos um pouco sobre os dias da pandemia.

Escute o que uma criança tem a dizer, e algumas coisas são ótimas dicas, para os pequenos e para toda a família. 
E mais:
- Sabe quem não consegue falar baixo?
- Descubra uma Expert  na internet!
- Quer saber o que se pode fazer no isolamento?


   

Não se esqueça de comentar e compartilhar.
E nos siga nas redes sociais também.




 
Quarentena – Contos Isolados

O primeiro livro do planeta com contos sobre a pandemia da Covid-19 como tema.

“Quarentena – Contos Isolados” é um livro de contos, de clássica e pura ficção, escrito num mundo pós-pandemia, para um mundo pós-pandemia.

Estará disponível em Agosto, com a pré-venda já iniciada.
Tantas vezes foi dito que a ficção imita a vida, e também que a vida imita a ficção. Quem imita quem? É tão difícil responder essa pergunta como é responder “quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?” A vida sempre cria novas situações, aparentemente impossíveis e impensáveis. Mas quanto disso é consequência da ação de pessoas que, sabendo ou não, agem sob o efeito da literatura? Porque a maneira como elas veem o mundo ̶ a própria estrutura de suas ideias ̶ veio da literatura, como a história do lobo mau que viram quando criança e o filme de ficção que recentemente as deixou boquiabertas no cinema (ou na Netflix!). Esse ciclo corre solto, sem parar, vida e ficção, ovo e galinha, um nascendo do outro, eternamente. “Quarentena – Contos Isolados” é um novo elo nesse ciclo, 13 contos inéditos que conversam com a ficção científica e a crônica, surgidos assim que a vida acabou de fazer uma curva inesperada.

"...Só que nós não contamos com a capacidade que as pessoas têm de corromper as coisas. As pessoas corrompem tudo, as pessoas corrompem a morte. Diabos, as pessoas corrompem até o capitalismo."

O livro é escrito por um autor que vem trilhando com êxito o caminho da literatura independente e que escreve com naturalidade sobre vários temas distintos(Maurizio Ruzzi.)

Editora Skull: https://www.lojaeditoraskull.com.br/produtos/quarentena-contos-isolados/
Fanpage: https://www.facebook.com/Quarentena-Contos-Isolados-104927164555722
homepage: http://contosdaquarentena.com.br/ Contato: skulleditora@gmail.com


Franquia Velozes e Furiosos
velozes e furiosos, veloz, vin, diesel, paul,

Texto de Henrique Resende publicitário e podcaster no Variações de um Nerd 

Quem diria que um filme de corrida lançado em 2001 com um orçamento ‘‘modesto’’ de 38 milhões de dólares se tornaria uma mega franquia que chegou no seu oitavo filme em 2017 ( e mais um spin-off) com um orçamento de 250 milhões de dólares e arrecadou na bilheteria mundial mais de 1 Bilhão de dólares.

Mas agora fica a dúvida, como um pequeno projeto se tornou tão grande e lucrativo afinal não era só um filme de corrida? Bem é por isso que estou aqui para contar um pouco da história dessa grande saga de velozes e furiosos.

Em 2001 o diretor Rob Cohen tinha um elenco jovem mas já talentoso com Brian O’Conner (Paul Walker), Dominic Toretto (Vin Diesel), Letty (Michelle Rodriguez) e Mia Toretto (Jordana Brewster), a história era simples mas muito bem colocada desde o início seus princípios, a química entre os 4 protagonistas era visível mesmo que em alguns momentos o amor virasse raiva em poucos segundos, Velozes & Furiosos veio com tudo em seu primeiro filme mesmo que o objetivo não tenha sido esse.

Em 2003 o orçamento já era o dobro do anterior, a ideia de filme era quase a mesma, entretanto a presença de novos atores deu um ar de novidade, Roman Pearce (Tyrese Gibson) e de Tej (Chris Ludacris) que seriam muito importantes no futuro da franquia além da grande participação de Eva Mendes, as cenas de ações são muito boas e não tem como não lembrar a cena em que Brian dirige de ré por um tempo só pra estressar Roman, o filme + Velozes + Furiosos mostrou muita comédia mas também muita ação de qualidade, muito pelo bom trabalho de direção de John Singleton que rendeu quase 240 milhões de dólares de bilheteria.

Em 2006 a franquia voltou de um hiato de 3 anos com um filme diferente em que não víamos nenhum dos atores que já haviam participado anteriormente porém teve a primeira aparição de Han (Sung Kang) e até a aparição final de Vin Diesel no fim do filme, a direção de Justin Lin tinha de mostrar os desafios de corrida em Drift onde o espaço é muito menor havendo a necessidade de cenas cada vez mais complicadas, o orçamento de Velozes & Furiosos: Desafio em Tóquio aumentou em relação ao filme anterior de 76M para 85M de dólares porém a bilheteria foi muito menor chegando aos 160 milhões de dólares o que fez a franquia viver dias de dúvida sobre teu futuro.

Em Velozes & Furiosos 4 a franquia voltou com os personagens já consagrados, Brian e Toretto voltavam a parceria para saciar a sede de vingança de Dominic em relação a morte de Letty e a procura de um grande traficante de drogas , este novo filme tinha entrada de novos personagens que ainda teriam muita importância na trama era o vilão Arturo Braga (John Ortiz), e a bela Gisele (Gal Gadot), o diretor Justin Lin tinha o mesmo orçamento do filme anterior e mais uma vez foi muito bem no trabalho de ação conseguindo uma bilheteria que foi muito bem arrecadando mais que o dobro do anterior chegando a quase 370 milhões de dólares.

Velozes & Furiosos 5 – Operação Rio veio com tudo em 2011 com um grande orçamento de quase 130 milhões de dólares, a história juntava a grande família de Dominic Toretto dentre eles Mia, Roman, Han, Gisele e o parceiro Brian O’Conner que nesta história estão fugindo da polícia americana e acabam parando no rio de janeiro para refúgio e serviços com um velho conhecido do primeiro filme Vince (Matt Schulze), entretanto o General Hobbs ( Dwayne Johnson ) está a procura dos seus fugitivos mesmo que o inimigo seja o mesmo.

Operação Rio foi o primeiro filme da franquia que teve mais de meio bilhão de dólares de bilheteria com quase 630 milhões de dólares, o filme teve muitas cenas fora da realidade entretanto a ação e a comedia continuavam presentes aumentando os fãs da franquia.

O sexto filme da franquia veio com uma nova ideia onde o General Hobbs pede a ajuda de Toretto para prender uma organização de mercenários mundial, o que parece ser apenas uma missão se torna algo pessoal quando Dom descobre que Letty está viva porém não se lembra de nada do que passaram juntos, a partir deste momento toda a família toretto sai à procura de Letty para que ela lembre de tudo e sai das mãos de Owen Shaw (Luke Evans).

Cada vez mais o orçamento foi aumentando e com ele grandes cenas no roteiro, como um tanque de guerra em uma rodovia ou um grande salto de 5 metros de Hobbs para tentar pegar Shaw, o número de cenas de maior ação era maior como sua bilheteria que desta vez chegava a quase 800 milhões de dólares.

Velozes e Furiosos 7 teve a maior tragédia da franquia, porém ela ocorreu fora das telas, com a morte de Paul Walker durante as filmagens do sétimo filme da franquia, após uma pausa pelo falecimento do ator as filmagens voltaram a acontecer, o ritmo não era o mesmo e a falta de Paul nas filmagens e a necessidade de terminar a participação de Brian O’Conner na saga acabou tendo um acréscimo de 50 milhões de dólares pelo uso de muita tecnologia para manter pela última vez Paul Walker na franquia fazendo com que o orçamento para o filme ultrapassasse os 200 milhões de dólares ,os resultados vieram e foram significativos com um bilheteria de 1.5 bilhão de dólares.

O filme tem uma história de vingança do irmão de Owen Shaw, Deckard Shaw(Jason Statham) procura vingança a família de Toretto provocando até mesmo a morte Han, porém não é a única trama do filme , Dom e sua equipe ajudam o governo que estão procurando uma grande Hacker, a jovem Ramsey ( Nathalie Emmanuel) , junte nisso tudo cenas cada vez mais incríveis como saltos nas alturas entre prédios com um carro que vale mais de meio bilhão de dólares e até mesmo uma perseguição de drone em meio a várias corridas , estes são alguns dos agregados que fazem o filme uma mega produção dirigido por James Wan que conseguiu um grande trabalho, ainda temos uma grande homenagem no último filme em que tivemos a participação de Paul Walker, como não se lembrar da última cena ao som de Wiz Khalifa – See you Again ft. Charlie Puth , clipe com mais de 3 bilhões de visualizações no Youtube.

No Oitavo filme da franquia mais uma troca de direção, tendo F. Gary Gray no comando das diversas cenas de ação, que mais uma vez se tornam cada vez mais incríveis e impossíveis de se acontecer, o orçamento aumentou e foi para 250 milhões de dólares, cenas com milhares de carros caindo de um prédio nas ruas americanas mostram que a produção não estava de brincadeira, a bilheteria mundial mais uma vez passou o 1,1 bilhão de dólares.

Na última trama temos Dom, em um drama ao descobrir que sua filha recém descoberta com Elena (Elsa Pataky) está nas mãos de uma perigosa criminosa, Cipher ( Charlize Theron ), caberá a Toretto fazer o que for preciso para salvar sua filha mesmo que seja necessário lutar e trair sua família, que neste filme tem um integrante indesejável que veio de filme anterior, Deckard Shaw auxilia a equipe a prender toretto para chegar até Cipher, no fim tudo dá certo e temos todos juntos novamente prontos para mais aventuras que virão no nono filme da franquia que deve terminar no 10º filme.

A franquia se resume em muito dinheiro, muita ação e aventura mas sempre com muita comédia envolvida, os filmes mudaram muito desde o primeiro que tinha a base de corridas chegando ao último filme com muitos segredos e riscos para a Família Toretto, e a expectativa e cada vez maior para o que está por vir em 2019, agora basta apenas aguardar que as aventuras de Dominic Toretto se tornem cada vez mais inesquecíveis.


E ai, o que achou desse resumão?
Qualquer sugestão ou critica é só comentar ai.
Sem esquecer de compartilhar para nos ajudar!

Episódio 02 - Fanzines e HQs na sala de aula: Paulo Kobielski

A conversa de hoje acontece com um professor apaixonado por quadrinhos, fanzine e educação. Paulo Kobielski nos convida para conhecer melhor o que é o fanzine, e como ele e as HQs podem contribuir para a emancipação cultural e social de jovens e adultos.

Também nos conta sobre o seu trabalho como produtor cultural na cidade de Alvorada, com o evento Gibifest, e em Porto Alegre, na Feira do Livro da cidade, com o Mutação na Feira, em parceria com o também fanzineiro Denílson Reis. Além disso, fala do seu processo de criação com o fanzine Mundo Gibi. Não perde, tá demais!


Apresentação: Patrícia Maciel e Luciano Xaba
Roteiro: Jorginho e Patrícia Maciel
Edição: Luciano Xaba 
Poesia: Fabio da Silva Barbosa 
Arte: Jorginho
Produção: ColetiveArts e Oldie Nerd







Dando continuidade ao nosso projeto junto ao Coletive Arts, escute ai essa entrevista massa com um professor fanzineiro.
O IMPÉRIO DOS GIBIS: A INCRÍVEL HISTÓRIA DOS QUADRINHOS DA ED. ABRIL
gibis, império, quadrinho, Abril, Souza, Maurício, hq

Os jornalistas Manoel de Souza e Maurício Muniz revelam fatos inéditos e bastidores surpreendentes da editora que revolucionou a cultura no Brasil por meio das HQs.


Por sete décadas, a Editora Abril foi a mais importante empresa do mercado editorial brasileiro, com uma trajetória iniciada em 1950, quando seu fundador, o italiano Victor Civita, lançou com sucesso seu primeiro produto, a edição inicial da revista Pato Donald...


Ou, ao menos, esta é a versão oficial, que não corresponde exatamente à realidade: o Pato Donald não foi a primeira publicação da Abril, uma empresa fundada antes do que se imagina, em 1947, e sem qualquer envolvimento de Victor.

Estes e outros fatos obscuros e surpreendentes sobre a editora são finalmente revelados pelos jornalistas Manoel de Souza e Maurício Muniz no livro O IMPÉRIO DOS GIBIS: A INCRÍVEL HISTÓRIA DOS QUADRINHOS DA ED. ABRILda recém-inaugurada editora Heroica.


O projeto, da dupla de especialistas no ramo da cultura pop e geek, exigiu mais de 18 meses de pesquisa, buscas em mais de 300 periódicos e documentos antigos, conversas com 46 figuras-chave na história da Abril em 63 horas de entrevistas gravadas e a leitura de mais de 2 mil quadrinhos lançados pela empresa ao longo de sete décadas.

Tudo isso para apresentar um panorama que se confunde com a própria história do mercado editorial brasileiro, desde os tempos em que o material de reprodução dos gibis demorava seis meses para chegar ao país em longas viagens de navio, até a revolução da era dos computadores, em que se tornou possível baixar arquivos de revistas em poucos minutos pela internet.

Editora que encantou gerações


Por anos, a Abril foi responsável pela publicação, no Brasil, das principais franquias dos quadrinhos, como Disney (com Pato Donald, Mickey e Zé Carioca), Marvel (Capitão América, Homem-Aranha e Wolverine), DC (Batman, Superman e Mulher-Maravilha) e MSP (com os personagens de Mauricio de Sousa).


Aliás, o famoso criador da Mônica elogiou bastante O IMPÉRIO DOS GIBIS numa live transmitida em 4 maio, Dia Mundial do Livro. Nesse bate-papo patrocinado pela Câmara Brasileira do Livro, Mauricio de Sousa indicou O IMPÉRIO DOS GIBIS como uma obra essencial para conhecer o mercado de quadrinhos no Brasil – inclusive ficando surpreso com a quantidade de detalhes que o livro traz sobre seu conturbado relacionamento com a Abril.

O setor de quadrinhos da editora dos Civita encantou gerações, mas escondeu brigas internas, polêmicas, estratégias de mercado um tanto questionáveis e traições que parecem saídas de um romance de intrigas políticas. Hoje pode parecer difícil de acreditar, mas os quadrinhos infantis da Abril foram alvo até de rigorosa atenção dos órgãos de censura durante o governo militar!

Primeira tiragem esgotou-se em 48 horas

O IMPÉRIO DOS GIBIS foi viabilizado originalmente por meio da plataforma de financiamento coletivo Catarse, conseguiu reunir quase 600 apoiadores e arrecadou o dobro do valor inicialmente pretendido.


Isso possibilitou a impressão de uma tiragem inicial de 1.200 exemplares – que, para surpresa dos autores, esgotou-se em 48 horas por meio de vendas realizadas pelo site da Heroica, em abril de 2020. Agora, a segunda tiragem, recém-impressa, está disponível para venda e pronta entrega com exclusividade em www.editoraheroica.com.br.


O volume de 544 páginas ainda vem acompanhado de marcador de páginas e 30 cards exclusivos, tamanho 10 cm x 15 cm, que mostram capas das mais importantes revistas em quadrinhos da Editora Abril.

SERVIÇO

O Império dos Gibis: A Incrível História dos Quadrinhos da Ed. Abril
Autores: Manoel de Souza e Maurício Muniz
544 páginas (480 PB e 64 COR)
Lombada quadrada
Formato: 15,6 x 22,8 cm
Capa em Cartão 250g
Miolo PB em Pólen Soft 70g
Miolo COR em Offset 90g
Preço até 31/7: R$ 84,90 (frete incluso e pagamento em até 12 vezes)


Download de imagens:




CONTATOS
(11) 99492-6352



O que é ideologia? E a concepção neutra da ideologia?
Ideologia, concepção, neutra, filosofia, sociologia, politica, esquerda, direita, oldie Nerd, enquadrando, video

Qual origem do conceito de ideologia e o que significa a concepção neutra de ideologia? 


Assinenosso canal 😊

Fontes
Artigo 'IDEOLOGIA E DISCURSO' de Neuza Guareschi

Artigo 'O OBJETO DA IDEOLOGIA
NA TEORIA CRÍTICA DO DISCURSO' de
Maria Eduarda Gonçalves Peixoto, Claudiana Nogueira de Alencar e Ruberval Ferreira

Artigo Verdade e Ideologia no 
pensamento de Michel Foucault de Pablo Severiano Benevides

Artigo 'Os princípios de verdade 
no Livro IV da Metafísica de Aristóteles' de  
Nazareno Eduardo de Almeida

Vídeo do Meteoro Brasil: https://youtu.be/GiJucCiqc4U

Sobre concepções de Ideologia 


Livros 3 e 4 da 'Metafísica' de Aristóteles 

A farsa anti-ideológica de Bolsonaro

Livro 'O que é ideologia' de Marilena Chauí 

Wikipédia 

Variações de um Nerd e sua variedade

Variações de um Nerd, trás pessoas de vários cantos do Brasil para compor a mesa de participantes, fazendo essa variável de opiniões.

Site que agrega o Podcast VariaçõesCasting, dedicado a cultura pop, nerd e geek, onde se discute sobre séries e filmes.
A um bom tempo vem alimentando essa parceria, troca de informação e amizade.
Entre no nosso site Variações de um Nerd.
Nos acompanhe pelas redes sociais.
FacebookTwitter ou na fanpage do Facebook.
Ou de um play no Spotify.