I am Not Okey with This - Mini Analise

Aqui André, de apelido Jesus, nick Etrigunn. As mini análises do Wasd Space são pequenas dicas de no máximo 2200 caracteres de tudo que possa ser pertinente de produtos audiovisuais. Espero que gostem.

I am Not Okey with This

2020
Netflix
Criador: Jonathan Entwistle, Christy Hall.
Eps de 30 min
Quando eu vi o trailer de I am not okey with this, além de não conseguir decorar o nome da série, pensei em se tratar de mais um Stranger Things genérico. Não que Stranger Things não seja, mas esse parecia ainda mais genérico e igualmente bom. 
Não atoa, é dos mesmos produtores e do diretor de The End of the Fu**ing World. O que é notório pelo estilo de todos os
aspectos da série. Até o nome é igualmente enorme.
A começar pela cena da protagonista vestindo roupa de festa completamente coberta de sangue e vagando sem rumo pela rua. Uma referência direta a Carrie, A Estranha. Livro de
Stephan King adaptado algumas vezes para o cinema e televisão. Voltando ao IANOWT (odeio esas siglas para nome de séries, mas facilitam um tanto), a grande qualidade da série é justamente a surpresa, contrariando já foi escrito. Digamos que existem todos os elementos que os fãs de super-herói já conhecem, só que colocados de um modo muito discreto durante boa parte da trama. Trama essa que é em sua grande parte, os problemas da vida de Syd, a nossa protagonista. Ela teve uma perda recente na família, tem um relacionamento complicado com a sociedade escolar, tem que proteger seu irmão pequeno e é apaixonada pela melhor amiga. 
Um pouco de spoiler aqui, mas nada que não se perceba no trailer ou nos primeiros episódios. Me desculpem.
Falando um pouco dos defeitos dessa primeira temporada, a atuação dos atores não é das melhores e ponto. No mais, tudo certo. Trilha, efeitos, foto, roteiro, edição, tudo certinho.

Nota: 9 pelo final devastador

Por, André, o Jesus
Episódio 03 - LITERATURA FANTÁSTICA E FORMAÇÃO DE LEITORES

Em um bate-papo descontraído e cheio de informação, o autor Christian David nos convida a expandir os nossos horizontes e compreender melhor as possibilidades do contato com essa leitura e a formação de leitores, infantis e juvenis, no mundo incrível da Literatura Fantástica de autores brasileiros. Imperdível!

Produção: ColetiveArts e Oldie Nerd
Podcast gravado em 17/06/2020.



Não esqueça de deixar suas criticas ou sugestões.
Ah, e de compartilhar também.
Tchezine e Atomic reimprimem dois álbuns de Shimamoto

Salve salve leitores de gibis e fanzines, se liguem nessa.

Tchezine e Atomic reimprimem dois álbuns de Shimamoto

O desenhista e roteirista Julio Shimamoto, mais conhecido como Shima, um dos mestres dos quadrinhos de terror completou 80 anos de idade e 60 de carreira. Para comemorar, a Tchezine e Atomic estão reimprimindo dois álbuns de Shima: Contos de Horror e Sombras , Completo, que já estão em pré-venda.

Um dos representantes de uma geração de grandes nomes dos quadrinhos de terror, Shima desenvolveu sua paixão pelas artes plásticas durante a infância.  Ainda na juventude ele tornou-se desenhista e, a partir daí, trabalhou nas principais editoras do país.



O álbum Contos de Horror do Mestre Júlio Shimamoto, traz seis clássicos do terror. As histórias foram publicadas originalmente nas revistas Medo (Press), Mestres do Terror e Calafrio (D’Arte) e Spektro (Vecchi). Participação especial de Júlio Emílio Braz. Esta segunda edição vem com extras exclusivos.


Já em Sombras Completo, temos uma coletânea de histórias criadas e publicadas em revistas diversas, algumas delas pela editora D-Arte. São tramas de horror e violência tendo como pano de fundo temas do imaginário nacional e que impressionam pelas técnicas artesanais e experimentais de arte e finalização. Extras exclusivos nesta nova tiragem.


Contos de Horror: Álbum com 70 páginas, formato 15,5x23 cm, capa color 4x4 Couche 250g com verniz brilho, miolo 1x1 cor Offset 90g, lombada PUR, srink individual. R$ 30,00 com frete incluso. Previsão de entrega: final de setembro de 2020.

 

Sombras Completo: Álbum com 74 páginas, formato 20x28 cm, capa color 4x4 Couche 250g com verniz brilho, miolo 1x1 cor Offset 90g, lombada PUR, srink individual. R$ 40,00 com frete incluso. Previsão de entrega: final de outubro 2020.

Interessados entrar em contato por e-mail (tchedenilson@gmail.com).

  

Denilson Rosa dos Reis
https://tchedenilson.webnode.com/

Então, vê se não perde essa oportunidade, aproveite e faca seu pedido agora.

Café com Gibi 29: Pai e Filha Dias dos Pais uma aventura fantástica

 

Mais um café com gibi, Pai e Filha, desta vez, um episódio do dia dos pais, falando sobre o filme Dois irmãos uma jornada fantástica e mais um pouco, uma parte dessa aventura fantástica que é ser pai da Millena.

E mais:
- Gostei mais não gostei porque é triste mais é!
- Quais filmes de pai e filha!
- Pra que a gente está aqui?



   

E não se esqueça de compartilhar, curtir, comentar e mais o que tu tiver vontade de fazer!

Café com Gibi 28: Millena no inicio da Quarentena

Salve salve pessoal que está ai, preso e isolado, venham curtir esse episódio extra do Café com Gibi, onde eu, Luciano Xaba, ao lado da minha filha, a Millena, conversamos um pouco sobre os dias da pandemia.

Escute o que uma criança tem a dizer, e algumas coisas são ótimas dicas, para os pequenos e para toda a família. 
E mais:
- Sabe quem não consegue falar baixo?
- Descubra uma Expert  na internet!
- Quer saber o que se pode fazer no isolamento?


   

Não se esqueça de comentar e compartilhar.
E nos siga nas redes sociais também.




 
Quarentena – Contos Isolados

O primeiro livro do planeta com contos sobre a pandemia da Covid-19 como tema.

“Quarentena – Contos Isolados” é um livro de contos, de clássica e pura ficção, escrito num mundo pós-pandemia, para um mundo pós-pandemia.

Estará disponível em Agosto, com a pré-venda já iniciada.
Tantas vezes foi dito que a ficção imita a vida, e também que a vida imita a ficção. Quem imita quem? É tão difícil responder essa pergunta como é responder “quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?” A vida sempre cria novas situações, aparentemente impossíveis e impensáveis. Mas quanto disso é consequência da ação de pessoas que, sabendo ou não, agem sob o efeito da literatura? Porque a maneira como elas veem o mundo ̶ a própria estrutura de suas ideias ̶ veio da literatura, como a história do lobo mau que viram quando criança e o filme de ficção que recentemente as deixou boquiabertas no cinema (ou na Netflix!). Esse ciclo corre solto, sem parar, vida e ficção, ovo e galinha, um nascendo do outro, eternamente. “Quarentena – Contos Isolados” é um novo elo nesse ciclo, 13 contos inéditos que conversam com a ficção científica e a crônica, surgidos assim que a vida acabou de fazer uma curva inesperada.

"...Só que nós não contamos com a capacidade que as pessoas têm de corromper as coisas. As pessoas corrompem tudo, as pessoas corrompem a morte. Diabos, as pessoas corrompem até o capitalismo."

O livro é escrito por um autor que vem trilhando com êxito o caminho da literatura independente e que escreve com naturalidade sobre vários temas distintos(Maurizio Ruzzi.)

Editora Skull: https://www.lojaeditoraskull.com.br/produtos/quarentena-contos-isolados/
Fanpage: https://www.facebook.com/Quarentena-Contos-Isolados-104927164555722
homepage: http://contosdaquarentena.com.br/ Contato: skulleditora@gmail.com


Franquia Velozes e Furiosos
velozes e furiosos, veloz, vin, diesel, paul,

Texto de Henrique Resende publicitário e podcaster no Variações de um Nerd 

Quem diria que um filme de corrida lançado em 2001 com um orçamento ‘‘modesto’’ de 38 milhões de dólares se tornaria uma mega franquia que chegou no seu oitavo filme em 2017 ( e mais um spin-off) com um orçamento de 250 milhões de dólares e arrecadou na bilheteria mundial mais de 1 Bilhão de dólares.

Mas agora fica a dúvida, como um pequeno projeto se tornou tão grande e lucrativo afinal não era só um filme de corrida? Bem é por isso que estou aqui para contar um pouco da história dessa grande saga de velozes e furiosos.

Em 2001 o diretor Rob Cohen tinha um elenco jovem mas já talentoso com Brian O’Conner (Paul Walker), Dominic Toretto (Vin Diesel), Letty (Michelle Rodriguez) e Mia Toretto (Jordana Brewster), a história era simples mas muito bem colocada desde o início seus princípios, a química entre os 4 protagonistas era visível mesmo que em alguns momentos o amor virasse raiva em poucos segundos, Velozes & Furiosos veio com tudo em seu primeiro filme mesmo que o objetivo não tenha sido esse.

Em 2003 o orçamento já era o dobro do anterior, a ideia de filme era quase a mesma, entretanto a presença de novos atores deu um ar de novidade, Roman Pearce (Tyrese Gibson) e de Tej (Chris Ludacris) que seriam muito importantes no futuro da franquia além da grande participação de Eva Mendes, as cenas de ações são muito boas e não tem como não lembrar a cena em que Brian dirige de ré por um tempo só pra estressar Roman, o filme + Velozes + Furiosos mostrou muita comédia mas também muita ação de qualidade, muito pelo bom trabalho de direção de John Singleton que rendeu quase 240 milhões de dólares de bilheteria.

Em 2006 a franquia voltou de um hiato de 3 anos com um filme diferente em que não víamos nenhum dos atores que já haviam participado anteriormente porém teve a primeira aparição de Han (Sung Kang) e até a aparição final de Vin Diesel no fim do filme, a direção de Justin Lin tinha de mostrar os desafios de corrida em Drift onde o espaço é muito menor havendo a necessidade de cenas cada vez mais complicadas, o orçamento de Velozes & Furiosos: Desafio em Tóquio aumentou em relação ao filme anterior de 76M para 85M de dólares porém a bilheteria foi muito menor chegando aos 160 milhões de dólares o que fez a franquia viver dias de dúvida sobre teu futuro.

Em Velozes & Furiosos 4 a franquia voltou com os personagens já consagrados, Brian e Toretto voltavam a parceria para saciar a sede de vingança de Dominic em relação a morte de Letty e a procura de um grande traficante de drogas , este novo filme tinha entrada de novos personagens que ainda teriam muita importância na trama era o vilão Arturo Braga (John Ortiz), e a bela Gisele (Gal Gadot), o diretor Justin Lin tinha o mesmo orçamento do filme anterior e mais uma vez foi muito bem no trabalho de ação conseguindo uma bilheteria que foi muito bem arrecadando mais que o dobro do anterior chegando a quase 370 milhões de dólares.

Velozes & Furiosos 5 – Operação Rio veio com tudo em 2011 com um grande orçamento de quase 130 milhões de dólares, a história juntava a grande família de Dominic Toretto dentre eles Mia, Roman, Han, Gisele e o parceiro Brian O’Conner que nesta história estão fugindo da polícia americana e acabam parando no rio de janeiro para refúgio e serviços com um velho conhecido do primeiro filme Vince (Matt Schulze), entretanto o General Hobbs ( Dwayne Johnson ) está a procura dos seus fugitivos mesmo que o inimigo seja o mesmo.

Operação Rio foi o primeiro filme da franquia que teve mais de meio bilhão de dólares de bilheteria com quase 630 milhões de dólares, o filme teve muitas cenas fora da realidade entretanto a ação e a comedia continuavam presentes aumentando os fãs da franquia.

O sexto filme da franquia veio com uma nova ideia onde o General Hobbs pede a ajuda de Toretto para prender uma organização de mercenários mundial, o que parece ser apenas uma missão se torna algo pessoal quando Dom descobre que Letty está viva porém não se lembra de nada do que passaram juntos, a partir deste momento toda a família toretto sai à procura de Letty para que ela lembre de tudo e sai das mãos de Owen Shaw (Luke Evans).

Cada vez mais o orçamento foi aumentando e com ele grandes cenas no roteiro, como um tanque de guerra em uma rodovia ou um grande salto de 5 metros de Hobbs para tentar pegar Shaw, o número de cenas de maior ação era maior como sua bilheteria que desta vez chegava a quase 800 milhões de dólares.

Velozes e Furiosos 7 teve a maior tragédia da franquia, porém ela ocorreu fora das telas, com a morte de Paul Walker durante as filmagens do sétimo filme da franquia, após uma pausa pelo falecimento do ator as filmagens voltaram a acontecer, o ritmo não era o mesmo e a falta de Paul nas filmagens e a necessidade de terminar a participação de Brian O’Conner na saga acabou tendo um acréscimo de 50 milhões de dólares pelo uso de muita tecnologia para manter pela última vez Paul Walker na franquia fazendo com que o orçamento para o filme ultrapassasse os 200 milhões de dólares ,os resultados vieram e foram significativos com um bilheteria de 1.5 bilhão de dólares.

O filme tem uma história de vingança do irmão de Owen Shaw, Deckard Shaw(Jason Statham) procura vingança a família de Toretto provocando até mesmo a morte Han, porém não é a única trama do filme , Dom e sua equipe ajudam o governo que estão procurando uma grande Hacker, a jovem Ramsey ( Nathalie Emmanuel) , junte nisso tudo cenas cada vez mais incríveis como saltos nas alturas entre prédios com um carro que vale mais de meio bilhão de dólares e até mesmo uma perseguição de drone em meio a várias corridas , estes são alguns dos agregados que fazem o filme uma mega produção dirigido por James Wan que conseguiu um grande trabalho, ainda temos uma grande homenagem no último filme em que tivemos a participação de Paul Walker, como não se lembrar da última cena ao som de Wiz Khalifa – See you Again ft. Charlie Puth , clipe com mais de 3 bilhões de visualizações no Youtube.

No Oitavo filme da franquia mais uma troca de direção, tendo F. Gary Gray no comando das diversas cenas de ação, que mais uma vez se tornam cada vez mais incríveis e impossíveis de se acontecer, o orçamento aumentou e foi para 250 milhões de dólares, cenas com milhares de carros caindo de um prédio nas ruas americanas mostram que a produção não estava de brincadeira, a bilheteria mundial mais uma vez passou o 1,1 bilhão de dólares.

Na última trama temos Dom, em um drama ao descobrir que sua filha recém descoberta com Elena (Elsa Pataky) está nas mãos de uma perigosa criminosa, Cipher ( Charlize Theron ), caberá a Toretto fazer o que for preciso para salvar sua filha mesmo que seja necessário lutar e trair sua família, que neste filme tem um integrante indesejável que veio de filme anterior, Deckard Shaw auxilia a equipe a prender toretto para chegar até Cipher, no fim tudo dá certo e temos todos juntos novamente prontos para mais aventuras que virão no nono filme da franquia que deve terminar no 10º filme.

A franquia se resume em muito dinheiro, muita ação e aventura mas sempre com muita comédia envolvida, os filmes mudaram muito desde o primeiro que tinha a base de corridas chegando ao último filme com muitos segredos e riscos para a Família Toretto, e a expectativa e cada vez maior para o que está por vir em 2019, agora basta apenas aguardar que as aventuras de Dominic Toretto se tornem cada vez mais inesquecíveis.


E ai, o que achou desse resumão?
Qualquer sugestão ou critica é só comentar ai.
Sem esquecer de compartilhar para nos ajudar!