Guerras Secretas: Quando Universos Marvel colidem

Quadrinhos, hqs, Guerras, secretas, marvel, Hickman

Em 2015 Jonathan Hickman tinha uma missão, resolver de a vez por todas o Universo Ultimate da Marvel e deixar alguns desses personagens disponíveis para o futuro na editora. Foi então que surgiu a ideia de Guerras Secretas.


Guerras Secretas ou Crise nas Infinitas Terras Marvel? 

A premissa da história é conhecida universos paralelos estão colidindo e tem que se enfrentar para ver quem vai sobreviver. 
Antes da minissérie principal tivemos as afamadas "incursões" aqueles tie-ins safados que exploram esse lado da história.

Mas a saga principal é o que vamos falar aqui. Onde dois Universos morrem para dar início a um novo (e depois novíssimo, ++ novo e assim por diante…).

Guerras Secretas: Novíssimo mundo, Inimigos antigos 

Depois se muita porrada os Universos colapsaram, e nada, nada mesmo iria sobreviver em nenhum dos universos infinitos. Uma aliança entre Dr. Estranho, Dr. Destino e o Homem-Molecular fazem com que de alguma maneira um universo resista.
Porém nesse novo universo Dr. Destino é superpoderoso e detém o poder de um deus. Com tudo reformado a sua vontade somos apresentados a um mundo contraditório e bem maluco que me lembrou muito as histórias do Alan Davis com a Excalibur no começo da década de 90.


Em meio aos disparates do deus Destino alguns rebeldes deste novo mundo e alguns heróis e vilões que conseguiram escapar do colapso total se unem para enfrentar a ameaça maior.

Hickman tenta acertar o tom em Guerras Secretas. Quase funciona.

Hickman tem boas ideias para o roteiro dessa minissérie há boas tiradas, principalmente enquanto os heróis e vilões dos outros universos tentam entender esse mundo.
O conflito entre Destino e Richards também tem uma emoção grande, ver o vilão como esposo de Sue e pai dos seus filhos impacta Reed tanto quanto os leitores.
Mas a resolução envolvendo o Homem- Molecular, Beyonder e lado psicológico de Dr. Destino deixam um certo gosto de "eu já vi isso antes" mas isso  justifica o nome da minissérie.

Guerras Secretas tem Esad Ribic nos desenhos e Ive Svorcina nas cores


Ribic já se tornou um dos meus desenhistas favoritos da última década, e é muito bom ver o traço dele se ajustando aos tipos de narrativa que necessita em determinadas HQs. 
Nessa mini vemos os desenhos dele muito mais heróicos e dinâmicos do que em outras hqs mais sérias e darks que desenhou interiormente e as cores de Ive Svorcina (Thor: deus do Trovão) ajuda muito nesse aspecto heróico/épico  que a história precisava. 

Enfim, Guerras Secretas é uma Hq divertida com muitos personagens típica das grandes sagas cósmicas dos anos 80 e 90. Para quem não se importa de ver um pouco mais do mesmo é sim um gibi que merece ser lido.

Roteiro: 7
Arte:8
Uma porrada de heróis: 9
Deus Destino: 9
Nota final: 8,25

2 comentários: