O que faz um Quadrinho virar clássico?


Quadrinhos Clássicos e suas características. Como identificar se uma história em quadrinhos pode ser considerada clássica?

Existem muitas maneiras de classificar o que  transforma alguma obra em clássica, em todas as formas de arte (e aqui incluímos nossa querida 9° arte) existem obras classificadas por eruditos (ou cagadores de regra) denominadas clássicas, e nos quadrinhos não teria porque ser diferente, acalentada por muitos como simples brincadeira e por outros nem tanto assim, me deparei com a já "clássica" frase: "A Marvel não tem clássicos",  surgiu então a ideia de fazer um post sobre isso, depois de meses de preparação (mentira, era só preguiça mesmo) resolvi explanar a minha visão sobre clássicos nas HQs, pois também sou um erudito (cagador de regra).

É um clássico por quê?

Em diversas artes, há concepções diferentes do que torna aquela obra, em específico, um clássico, aqui estão o que achamos ser seus exemplos mais recorrentes e pertinentes as HQs.


Atemporal

Uma concepção muito aceita de clássico é a atemporalidade da obra, indiferente de quando tempo passe, continuar conseguindo se comunicar com a geração atual, mesmo que a sociedade e a cultura tenham mudado, a obra de alguma maneira  continua  instigando questionamentos, reflexões ou puramente encantamento.


Modelo de ideal da Arte

Toda arte tem expressões próprias de comunicação, que envolvem varias técnicas, sejam quais forem, tudo isso pra envolver o espectador de alguma maneira, se conectar com ele e causar algumas gamas de sentimentos específicos, e algumas obras conseguem uma excelência nesse aspecto, que acabam se tornando clássicos daquela expressão artística.


Modelo de estilo a ser seguido

Em determinados momentos, a arte como um todo muda as condições de estilo e apresentação, seja ela escrita, falada ou expressada graficamente, nesses momentos surgem as obras que rompem as amarras artísticas de uma determinada época e dão uma nova visão para toda aquela área, sendo seguidas como modelo e como inspiração para os próximos artistas e obras.


E pra ser um clássico, a obra precisa apresentar todos esses aspectos?

Na minha concepção, pode apresentar todos esses
aspectos, mas, se apresentar ao menos um desses já pode e deve ser considerada um clássico. Alguns exemplos em outras artes podem colaborar com essa visão, como por exemplo, Cidadão Kane, ninguém pode negar que é um clássico, embora possamos discutir se ainda hoje em dia ele se encaixa em todos os aspectos acima,  ou ainda os filmes de Charles Chaplin ou alguns livros de Shakespeare, mas nem por isso deixariam de ser clássicos, tendo em vista que de uma maneira ou outra essas obras ainda são lembradas e usadas em referências e estudos.

Nos quadrinhos podemos observar diversas obras se encaixando nesses requisitos:


Atemporalidade

Nemo in Sluberland

Inegável em sua força onírica e sua arte única, Nemo continua hoje e para sempre encantando todos os que puderem contemplar suas páginas.

Tarzan de Burne Hogarth
A arte e a fluidez de sua narrativa eram na época e ainda continuam estonteantes, inegável clássico.

Modelo de  estilo a ser seguido

Yelow Kid
Marco das HQs como conhecemos hoje em dia, definiu alguns elementos, até hoje usados.

Fantástico Four #1
Enveredado para o já conhecido e famosos Comics de super heróis, Quarteto Fantástico, poderia ser considerado um clássico? Sim, pois depois deles é que começamos a ver heróis conflituosos com sua condição, grupos disfuncionais e deuses com pés de Barros, muito mais próximos a nós mesmos.

Watchmen e Cavaleiro das Trevas
Definitivamente as obras que colocaram os Quadrinhos em evidência do grande público, com temas adultos e questionamentos políticos sociais e filosóficos até então nunca vistos nesse tipo de HQs.

Modelo de Ideal da Arte

Maus
Maus em seu argumento pesado, narrativa diferenciada e arte, designer gráfico cheios de detalhes narrativos, consegue despertar sentimentos, questionamentos e novas visões de mundo e de relacionamentos pessoais.

Marvels

Com sua arte diferenciada e até então inédita nesse tipo de comics, e sua narrativa peculiar, levando a ter novas perspectiva dos acontecimentos dos super seres na vida de gente comum, como eu e você, desperta um deslumbre na mente do leitor. 

Temos também a  concepção mais simplista de clássico: o que é corriqueiro e usual, mas assim tudo do Liefeld seria um clássico. Daí, acho que não vale.

Gostou da matéria? Compartilha.
Comentários, sugestões e críticas? Deixe nos comentários :-)

0 comentários: